quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Atividades Lúdico Expressivas

Eis algumas das atividades desenvolvidas com a professora Patrícia Aurélio nesta Atividade de Enriquecimento Curricular.


video


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Histórias de Natal

   Esta semana ouvimos mais uma história de Natal de um conhecido escritor dinamarquês chamado Hans Christian Andersen.  Chamava-se "O pinheiro".
    " A pequena sereia", " O patinho feio"  e  " A pequena vendedora de fósforos" são também algumas histórias deste escritor. 
A história " O Pinheiro" está neste livro

Em grupo, escrevemos o resumo desta história, que foi copiada para o computador Magalhães pelos alunos que não se esqueceram de o trazer na segunda-feira.

Resumo


O pinheiro



     Era uma vez um pinheiro que vivia numa floresta. Ele queria crescer muito e ser grande como as outras árvores.

    No inverno vieram uns homens e cortaram o pinheiro. Levaram-no para um grande salão e enfeitaram-no com guloseimas, maçãs e nozes douradas, e muitas velas. Na noite de Natal, muitas crianças correram até ao pinheiro e abriram os presentes.

    Depois do Natal levaram o pinheiro para o sótão. Lá, encontrou dois ratinhos que lhe fizeram companhia. Mas, um dia uns criados vieram buscá-lo. Ele primeiro ficou feliz por ver o sol, mas depois reparou que os seus ramos estavam murchos.
    Por fim, um menino retirou-lhe a estrela e o pinheiro foi cortado para a lareira.

Desenhos da história

video

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Textos sobre o outono

Eis alguns textos que foram  copiados no nosso Magalhães.


“ É Tempo de outono ”



 É  tempo  de  outono.

 Há  ventos,  há   chuvas.
 Apanham-se as uvas.
 Há peros  e  peras,
 há mangas, romãs,
 castanhas e nozes
 e  muitas  maçãs.
 Pão-por-Deus  se   me  apetecer 
 alguns  destes  frutos   
eu  hei-de  comer. 
 É  tempo  de  outono.  
Eu  faço  um  magusto. 
Estalam   castanhas 
mas    eu   não   me   assusto.

Ariana

Provérbios do outono

Logo que o outono  venha, apanha a lenha.
No outono, o sol   tem sono.
Quem  planta  no  outono, leva um ano de abono.    Duarte


    É outono

    A fada  Adriana levantou-se, esfregou os olhos e foi passear pela floresta.
    Caíam as primeiras chuvas. As árvores vestiam um fato encantador
 com cores diversas: amarelado, acastanhado, avermelhado...Adriana
estava espantada e olhava, olhava...
  Uma perdiz aflita, perseguida pelos caçadores, escondeu-se debaixo
do seu vestido. Um coelho assustado saltou-lhe para o colo. E o ouriço-
-cacheiro, espreguiçando-se, disse-lhe que ia dormir uma longa soneca.
   Adriana começou a sentir frio e regressou a casa.     Bráulio

O  outono  chegou
As  temperaturas     desceram.
O  vento   assobiou.
As  aulas      começaram.
Então   o   Outono  chegou.

 Tiago  Reis






terça-feira, 1 de novembro de 2011

Halloween

Dia 31 de outubro, festejou-se o Dia das bruxas ou Halloween. Ouvimos duas histórias : " A bruxa Mimi" e " A abóbora gigante". Eis os trabalhos que surgiram:

Resumo da história:  "A abóbora gigante"

    Era uma vez uma bruxa que semeou sementes de abóbora no quintal. A abóbora cresceu muito e a bruxa não a conseguia arrancar. Pediu ajuda ao fantasma, ao drácula e à múmia. Ninguém a conseguia arrancar. O morcego disse que se todos juntos ajudassem, era mais fácil.
   Finalmente todos ajudaram e arrancaram a abóbora.  Foram festejar o HALLOWEEN com bolo de abóbora.

Sobre a bruxa Mimi, desenhámos a sua casa colorida de acordo com a descrição da casa.
"Agora em vez de uma casa preta, a Mimi tinha uma casa amarela com telhado encarnado e porta encarnada. As cadeiras eram brancas e encarnadas. A carpete era cor-de-rosa. A cama azul, com lençóis brancos e cor-de-rosa."

Duarte
Ana Catarina
Manuel
Pedro
André
Rodrigo
Bráulio
Maria

Estamos no outono!

Escrevemos pequenos textos e histórias sobre o outono no livro de Estudo do Meio.  Estamos a copiá-las no computador Magalhães. O André já copiou a sua história. A Maria fez um desenho no Paint. Brevemente esperamos publicar muitos mais trabalhos.




Era uma vez uma folha que tinha olhos, boca e era avermelhada. Um dia, começou a chover e a fazer vento. A folhinha ficou muito triste porque sentiu que ia cair da árvore. PUM!  E … caiu. Logo começou a chorar  porque viu que a árvore estava nua.
ANDRÉ


Maria